O Veleiro de Expedição


Um dos elementos fundamentais do projeto é a adaptação de um veleiro. O veleiro será preparado para efetuar expedições e estudos nas áreas das ciências do mar e da atmosfera. Será uma plataforma para treino de alunos nas áreas das ciências do mar e educação ambiental.

O veleiro será dotado de um pórtico basculante para ajudar ao lançamento à água de vários equipamentos científicos.

Deve suportar as tempestades das altas latitudes, as baixas temperaturas das regiões polares, a pressão de gelos, a navegação em zonas mal cartografadas, as dificuldades de comunicação, as dificuldades na obtenção das informações de satélites de ajuda à navegação e outras.

Há a necessidade de boa capacidade de manobra em todas as situações, da produção autónoma de energia utilizando energias alternativas, de uma motorização optimizada em consumo e de ruído, a necessidade de conservação das recolhas bacterianas e virais com conservação a temperaturas de -80 °C, de soluções robóticas, a necessidade de conservação de alimentos frescos por longos períodos, a necessidade de espaços de carga e de laboratórios, a necessidade de condições de estabilidade, habitabilidade e de climatização que permitam o trabalho de laboratório mesmo com condições climatéricas muito adversas.

Estes são alguns dos desafios que se apresentarão na adaptação do veleiro.

.


O “ANIXAII”

O veleiro Anixa que é construído em aço e que foi classificado Oceânico sem limites de navegação.

Pode ser utilizado pela Associação para:

  • Treino e sensibilização de mar,
  • Apoio a escola de vela de cruzeiro,
  • Apoio a atividade subaquáticas,
  • Plataforma para cientistas em trabalhos de recolha de amostras e outros ao longo da faixa costeira nacional.

A sua capacidade para transportar algum material (100 a 300 kgs) e 5 tripulantes em operações de mais de 24horas no mar e de 6 a 8 em operações diurnas, faz que este seja um instrumento acessível a Escolas e Universidades para apoio às suas atividades.

O “ANIXAII” desenvolve o seu trabalho das seguintes formas:

1° – Levar os sócios da Associação David Melgueiro a descobrirem o Estuário do TEJO da Ponte Vasco da Gama até Cascais. Esta viagem de 8 horas de duração pretende sensibilizar e mostrar aos sócios o impacto de uma cidade no seu Estuário e quais os objetivos de proteção ambiental e dos seus ecossistemas, mas também das ações desenvolvidas pelo homem no seu quotidiano que podem por em causa o equilíbrio dos ecossistemas marinhos. A história de um passado secular ligado ao seu rio e porto também será algo a ser mostrado e explicado.

2°- Servir de plataforma de apoio técnico ou científico para os estudantes das Universidades de e outras escolas ou Instituições parceiras da Associação.

3°- Permitir que certos projetos a desenvolver pelas Universidades e parceiros Institucionais, possam ter no ANIXA a base logística e o instrumento de trabalho que vai tornar possível certos trabalhos que exigem o ter uma embarcação para poderem ser realizados (monitorização de micro-plásticos, recolha de lixos, amostragens de água, plâncton etc.).

4°- Sensibilização dos sócios para a prática da vela despertando-lhes o interesse por ir aprender a arte de navegar nas Escolas dos nossos parceiros com a sua base em Lisboa, Oeiras, etc.

anix1anix2anix3

.


O “CASTA DIVA”

O “CASTA DIVA” desenvolve o seu trabalho das seguintes formas:

1° – Levar os sócios da Associação David Melgueiro a descobrirem a reserva da Arrábida e do Estuário do Sado a Sesimbra. Esta viagem de 8 horas de duração pretende sensibilizar e mostrar aos sócios o que é a reserva e toda a zona do Estuário e quais os objetivos de proteção ambiental dos seus ecossistemas próprios que se pretendem preservar, mas também das ações desenvolvidas pelo homem no seu quotidiano que podem por em causa o equilíbrio dos ecossistemas marinhos e terrestres existentes na reserva. A Fossa de Sesimbra e o seu sistema de upwelling verdadeiro motor gerador de vida.

2°- Servir de plataforma de apoio técnico ou científico para os estudantes das Escolas ou Universidades parceiras da Associação.

3°- Permitir que certos projetos a desenvolver pelas Escolas e Universidades parceiras possam ter no “CASTA DIVA” a base logística e o instrumento de trabalho que vai tornar possível certos trabalhos que exigem o ter uma embarcação para poderem ser realizados(monitorização de micro-plásticos, recolha de lixos, amostragens de água, plâncton, observação de cetáceos etc.)

4°- Sensibilização dos sócios para a pratica da vela e despertando-lhes o interesse para ir aprender a arte de navegar na Escolas que existem na região.

O “CASTA DIVA” deverá estar operacional em Março/Abril de 2016. Neste momento encontra-se em fase de revisão e preparação técnica.

casta1

.


O “TIBARIAF II”

O “TIBARIAF II” desenvolve o seu trabalho das seguintes formas:

1° – Levar os sócios da Associação David Melgueiro a descobrirem a reserva da Ria de Aveiro e o seu passado histórico de porto bacalhoeiro. Esta viagem de 8 horas de duração pretende sensibilizar e mostrar aos sócios o que é a reserva e quais os objetivos de proteção ambiental e dos seus ecossistemas, mas também das ações desenvolvidas pelo homem no seu quotidiano que podem por em causa o equilíbrio dos ecossistemas marinhos e terrestres existentes na reserva. A história de um passado secular ligado à pesca nos grandes bancos da Terra Nova- Canada também sera algo a ser mostrado e explicado.

2°- Servir de plataforma de apoio técnico ou científico para os estudantes da Universidade de Aveiro e outras escolas ou Universidades parceiras da Associação.

3°- Permitir que certos projetos a desenvolver pelas Universidades parceiras, em particular a de Aveiro possam ter no TIBARIAFF II a base logística e o instrumento de trabalho que vai tornar possível certos trabalhos que exigem o ter uma embarcação para poderem ser realizados(monitorização de micro-plásticos, recolha de lixos, amostragens de água, plâncton etc.)

4°- Sensibilização dos sócios para a pratica da vela e despertar-lhes o interesse por ir aprender a arte de navegar na Escolas que existem na região.

tibaria

.

Ocean Science Fleet


THE SAILING VESSEL DAVID MELGUEIRO

veleiro1

For this Project, the building of a sailing vessel of Portuguese design with the use of raw materials of Portuguese origin, whenever possible, is of the utmost importance. The sailing vessel will be built and equiped to enable oceanographic and environmental research, and any other type of research in the area of sciences of the sea and the atmosphere. It will be conceived to be used as a test bed for innovation, disclosure and display actions.

The David Melgueiro will be a 28 meters long ketch with steel keel. The sailing vessel will be equiped with a tiltable gantry to be used to launch scientific equipment overboard. Natural, recyclable and innovating material will be used whenever possible during the whole building process.

This project is also an engineering challenge in the field of shipbuilding. The vessel must indeed be designed to cope with the high latitudes tempests, the low temperatures in the polar regions, the pressure of the ice, and must be able to navigate in regions hardly drawn on a map, with communication difficulties such as to obtain information from satelites to facilitate navigation, etc.

The vessel must in all circumstances be easy to handle, alternative energy resources will enable the autonomous production of energy, the engine must be energy efficient and silent. And there are other needs too : need of robotical solutions, of preserving fresh food during long periods of time, of storage room and labs, the need of conditions of stability, of living space and air conditioning, all requirements enabling laboratory work even in very though climate conditions.

These are some of the challenges the engineers, designers, universities and national enterprises will have to face.